Amizade


É só mais um caso de amizade
Pois de amor não é
É só uma amizade que eu clamo
Vem me amar em amizade
Vem conhecer um amigo talvez
Conhecer-me mais, atirar seu charme amigo

Não confunda isso
Seja amiga, eterna e só
Não vamos envolver amor demais
Só ao ponto de amar
Não ao ponto de se entregar
Seja assim ou não seja nada

Carnaval


Se quiser me achar
Eu aprendi a sambar
Me procura no carnaval
Como quem faz uma canção
Como quem toca violão
Me encolhi em outras mãos

Você não vai procurar
Na multidão me perdi
Vem me achar, pra gente sambar.

Em um celular


Não me encontre mais
Me tire do seu mapa
Não procure salvar-se aqui
Eu não estou pra você
Me tire dos pensamentos
E me guarde na gaveta
Atrás do porta-retratos
Ou em qualquer lugar da casa
Quando eu vibrar, não me ache.
Pois logo eu fico calmo
Já estive em suas mãos
O excesso de uso me cansou
Hoje prefiro sozinho e perdido
Você vai ficar pra trás
De tudo que está por trás
Ficou gravado em mim seu nome
Até seu numero
A imagem do rosto cansado de mim
Não faça questão de nada
Realize seu sonho em me trocar
Eu estou disponível pra mim
É em mim que eu me deito
Descanso e desapego
Pois você não me segurou
Não me encostou em ti
Nem pra ouvir e nem pra falar
Apenas me usou como quis
Agora eu vou ser de outro
Vibrar em outras mãos
Cantar alto em vários tons
Tons de cinza, em preto e branco
Em cima de qualquer estante
Seja acesso ou apagado
Seja vivo, seja claro.