A dança


Quando a noite parece acabar
Tudo começa
Começa por um cheiro
Um beijo, um toque, uma frase
Quando percebo já estou com o rosto colado
Coloco a mão no seu abraço
Permaneço ao seu lado
Doido para te amar
Te desejo, e um pouco mais
Te chamo, e fico esperando
Quando me olha, já sinto
Tudo muda, a respiração e a pulsação
As minhas mãos tremem
E quando me aproximo 
Some toda a razão
Que dá lugar ao nosso tesão
É apenas o começo
Os lençois se perdem
As roupas também
Seu corpo ainda me espera
Eu estou me preparando
No carinho, no charme e no desejo
São tantos beijos
Carinhos e olhares
Parece nunca cansar
Ou até cansados, nunca paramos
Nunca perde a graça
Nunca é igual
Agora já sinto todo o seu corpo
Já estou afogado nele
Nem paro para pensar
Com todas as luzes apagadas
Apenas um brilhar da janela
Ou dos teus olhos
Suficiente para te achar 
Te tocar, colocar minha boca no lugar certo
As vezes calados
Outras soltamos ruidos
Trocamos olhares, palavras
Ainda tem um abraço, alguns beijos
Cheiros e elogios
O tempo parece não passar
Meu corpo molhado 
Junto ao seu
Formando um só
Com todos os movimentos
Uma sincronia perfeita
É como uma dança
Com uma bela canção
E fica cada vez mais intenso
Parece até flutuar
E nesse momento
Existem mais ruidos
E tudo isso não para
Só aumenta
Aumenta a velocidade
O amor, a vontade
O prazer, os olhares
Os toques e as verdades
Quando parece ser impossível ser melhor
Vem o ápice dos movimentos
O motivo de tudo
De todo tempo gasto
De toda a energia
Da falta de ar
Quando acaba, só nos resta olhares
E nesses olhares estão as palavras
Todas elas dizem a mesma coisa
E já entendemos
Depois de tanto olhar 
A gente não para
E não passa muito tempo
E vem toda a loucura 
Não damos tempo para a razão
Porque basta olhares
Alguns toques, beijos
E algumas frases





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, crítica ou sugestão! Volte Sempre!