O que sempre acontece

Não sei se me entendo
Pois não sei se me conheço
Costumo ser abstrato
Assim sou em todas as minhas fases
Em todos os meus ciclos

Um sorriso a cada dia
Ou uma lagrima ao anoitecer
Cada dia vivo de um jeito
E sempre sou um ator

Não sei se assim funciona
Será justo fingir?
Talvez brincar de felicidade
Ou não brincar de nada

Mas nem tudo é tristeza
Às vezes consigo respirar
Quando estou vivo

Isso porque não existe razão
Nem inspiração
Preciso só de uma condição
Uma mão, Um não
Ou um pouco mais de coração.

3 comentários:

Shana Schons disse...

Adorei seu texto ^^
Vc escreve mtu bem!

Bjs

domquixotejunior disse...

vou falar ainda não li todos, esse é meu favorito por enquanto.
escreve bem cara, vamos fazer umas músicas velho!

depois leio os outros meu brother!
abraço!

Gabriela Santiago disse...

adoreei, muito bom!

Postar um comentário

Deixe seu comentário, crítica ou sugestão! Volte Sempre!