Lado X

Nesse momento estranho
Posso sentir meu lado fraco
Medroso e Incapaz
É como um brilho
É como um doce
É como um inverno
É como sua mão no meu cabelo
Sua boca no meu corpo
E meu corpo dentro do seu
É calmo como o suspiro
É forte como o amor
É diferente como quando eu te odeio

É meu lado fraco, meu lado X
Meu lado excitação, feroz, leve, Livre e breve
É meu ponto de desequilíbrio
É meu lado incontrolável
O lado que me faz delirar e procurar-te
O lado que me mantém vivo
E que morre aos poucos
O lado que eu preciso pra estar contigo
E te matar de amor.

Livre e vivo

Ah! Cansei de ser assim
Cansei de observar
E de ficar parado
Não custa nada viver
Não custa nada se arriscar
E perder o juízo em meio aos riscos

Quero pular do andar mais alto
E não ter medo da queda
Quero sorrir em um tom diferente
Só quero falar a verdade
E nunca viver uma mentira
Cansei dessa vida
Dessa minha vida que engana
Agora são outros ares
Outras pessoas e outros lugares

Como é bom se libertar
E se ver em outra dimensão
Parece fantasia
Parece crescimento
Parece até loucura
Mas é tão bom se descobrir
E saber quem sou
E não me perder ou ter medo de mim mesmo
Porém, é horrível perceber que demorei tanto pra descobrir isso
Mas enquanto eu estiver vivo
Haverá uma nova vida, um sonho e mil sorrisos!

Meu hoje

Hoje começa um novo dia
Dia quente com vento frio
Muito silêncio e pouca paz
Nada pra fazer e muito a se pensar

Nesse dia eu quero segurança
Boas palavras, abraços e respeito
É um dia comum
Diferente só pra mim
Pois hoje acordei, sentindo que o resto do mundo morreu
Agora só depende de mim
Os próximos dias podem ser melhores
Podem ser dias normais
Por que hoje é um dia comum
Tão comum quanto todos os meus sentimentos
Nenhum sentimento surpreende
E nenhum me faz ter vontade de acordar amanhã.

Hoje é assim, mas já foi melhor.

Nosso medo e nosso amor

Sofro quando tenho medo
Quando tenho que evitar
Quando não posso gritar que te amo
E quando isso se torna só nosso
Quando o aperto de mão é delicado
Quando os beijos são escondidos
E quando o abraço se perde no nosso medo

Juntos em um momento nosso
Momento em que a gente se esconde e apaga a luz
Só escutam-se sussurros e beijos
A gente faz aquilo que ninguém pode saber
Que ninguém imagina
E que só a gente sabe
Só a gente entende

A gente se entende nos detalhes
Conversa por olhares
E ninguém acompanha
A gente se repete, até se inverte
Mas nunca ninguém impede
Mesmo com medo e insegurança a gente faz
A gente vive e se ama
Somos dois em um
Somos vários e somos todos
Quando estamos distantes, não somos nada
E não temos nada
Quando estamos distantes, só nos resta acreditar
Que tudo isso seja pra sempre, só de nós dois
E que seja pra sempre
Nosso medo e nosso amor.



Frio e noite

Realmente eu gosto do frio
Gosto do arrepio
Da dor na pele
Da água quente e de cobertas

Gosto do abraço quente na noite fria
Do vento úmido e da chuva silenciosa
Gosto da simples noite e do escuro que vem com ela
Gosto da neblina e do silencio

É difícil entender, mas gosto da beira da piscina
Ficar coberto de estrelas e pensamentos solitários
Gosto de dormir gelado
Gosto de ligar o ventilador no frio
Gosto de esquecer de desligar

Admiro a lua e sua luz
A verdade é que não gosto do calor e nem do sol
Quente só o chimarrão pra acompanhar com a noite
Para brindar mais um arrepio sem abraço
Para ativar os pensamentos artificiais

Já não gosto das trevas
Da tempestade e do trovão
Apenas gosto do sabor da noite
Da textura do frio
E da forma que meu corpo reage

Gosto do sul, da serra e do centro
Gosto dos lugares escuros
Aqueles onde os abraços são quentes e necessários
Gosto mesmo do frio
Talvez não seja de qualquer frio
Mas com toda certeza gosto do frio que vem do Sul

Gosto quando o frio se confunde
E quando ele não sabe onde ficar
E quando ele não se controla
Até mesmo quando ele vem sem graça
Até quando vem na hora errada

Eu simplesmente gosto do frio
E isso é realmente simples
Diante da grandeza de uma noite fria
Uma noite fria que eu torço para não acabar
Porque quando acaba
Eu esqueço do que sinto
E de quem sinto falta

Minha culpa?

Eu me atrapalhei
Destruir meu castelo
Viciei minha estrutura
Não mantive o controle

Hoje tudo desabou
Virou pó, e perdeu a graça
Não sobrou nada
Nem o cheiro pra matar a saudade

Sabe quando tudo está indo bem
Mas de uma hora pra outra
Você se vê sem nada e falido
E só de lembrar chora e prefere morrer

Eu quero reclamar do que já passou
Eu quero me arrepender
Eu quero chorar de saudade
Eu quero pensar em voltar no tempo
Só não quero viver com essa culpa
Carregar nas costas o peso de uma lagrima
E passar o resto da vida com saudade de quem nem existe mais

Não quero viver arrastando-me
Porque não sei se vale à pena amar alguém como eu amei
A ponto de se sentir culpado mesmo sem ter feito nada.

O que sempre acontece

Não sei se me entendo
Pois não sei se me conheço
Costumo ser abstrato
Assim sou em todas as minhas fases
Em todos os meus ciclos

Um sorriso a cada dia
Ou uma lagrima ao anoitecer
Cada dia vivo de um jeito
E sempre sou um ator

Não sei se assim funciona
Será justo fingir?
Talvez brincar de felicidade
Ou não brincar de nada

Mas nem tudo é tristeza
Às vezes consigo respirar
Quando estou vivo

Isso porque não existe razão
Nem inspiração
Preciso só de uma condição
Uma mão, Um não
Ou um pouco mais de coração.