Saudade

Sabe quando o seu coração aperta?
Quando a dor se torna visível e preocupante?
E qualquer ação não é suficiente?
E quando o subconsciente não dorme?
Quando você escuta uma voz que não existe?
E sonha com lugares que não conhece?
Você está morrendo de saudade

Um vazio, uma dor e um aperto
Chorar não é suficiente
A saudade machuca e só você sente
Um momento que sua mente não entende
E parece que nunca vai passar

Saudade é o amor invadindo sua mente
Pode durar ou se perpetuar
A saudade trás o passado
O velho gosto vem à tona
Os costumes se revelam novamente

Quando sentir saudade
Pare de pensar
Sinta o futuro
Respeite seu coração
Poupe lágrimas
Aqueça suas mãos
Respire fundo
Em meio à saudade, o melhor é voltar ao mesmo lugar
Cantar as mesmas canções
Deitar, nos mesmos abraços
E se tornar a mesma pessoa

A saudade não passa de um sentimento injusto e cruel
Que tenta nos derrubar
E abre nossos olhos para as lágrimas

A saudade não se define com palavras
E só entende, quem morre sentindo.

Um homem quase vivo

Delirando, porém acordado
Assim são os dias desse homem
Homem que cospe fogo
Que dedilha violões
Homem que até sabe voar

Os dias de um homem sem medo
Que persiste em lutar
Que insisti em perder
Um homem que nunca foi visto
Mas sempre existiu

Apático e quase vivo
Ele tenta continuar
Sem graça e sem rumo
Sem força e com o coração partido

Entregou-se ao amor
Sentiu o gosto de tudo que chamam de belo
Amou profundamente
Quase acreditou nos fatos

Era um homem quase pronto
Conhecia-se como ninguém
Tinha certeza do seu sucesso
E da capacidade de fazê-la feliz

Hoje ao ver a chuva
Ao sentir o frio
Sente-se ofendido pela vida
Não vê justiça em continuar
Acredita que deve ter o mesmo fim que ela
Ele não acha correto ser feliz
Ele quer pagar por tudo
Ele quer se livrar de todos

Ao pensar no passado
As lágrimas ganham vida
E formam uma imagem em seus olhos
Que logo se transformam em agudas tristezas

Ao pensar no passado ele decide morrer
Ele sente medo das coisas que não consegue ver
Ele chora, e por dentro se mata
Quando precisa, volta a quase viver

Talvez não seja nessa vida
Mas terá uma oportunidade
Provará que sabe amar
Assumirá sua essência
Mostrará suas garras e viverá

Por enquanto vai morrendo lentamente
Dançando em campo minado
Tirando os espinhos
Mudando as mascaras

Vai vivendo na espera de algo
Talvez queira uma segunda chance
Talvez espere o tempo voltar
Ou simplesmente queira esperar
Algo que não sabe o que é
Nem o que pode fazer
Algo que possa impedi-lo de morrer.

Amar? Hoje não!



“Amar é pular de um precipício, mas só acreditamos depois do impacto do corpo com o chão”

Será que isso um dia pode mudar?
Será que vou ter prazer em me entregar ao amor?
Você entende o que quero dizer?
Não quero ficar com o pé atrás
Não quero ter medo de arriscar
Não quero ter medo de levar minhas malas para o outro apartamento
Dividir a mesma cama
Respirar o mesmo ar


Quando o amor irá se tornar sublime?
Quando vamos amar e simultaneamente conhecer a felicidade?
Quando o amor será sinônimo de felicidade?

Sei lá, chamem de revolta, frustração ou qualquer coisa
O que sinto é que o amor não é um sentimento bom
Ou eu não sou bom suficiente para amar
Será que o amor vai chegar aqui?
E quando o amor vai ser bom pra mim?

Por enquanto vou vivendo em pedaços
Implorando carinho pelos cantos
Tentando chamar atenção
E vivendo uma falsa alegria
E vivendo isso que chamam de vida
E conhecendo isso que chamam de amor.

Viva ou espere

Não precisamos que o tempo volte
As coisas velhas não se encaixam mais
Nosso presente é suficiente
A vida se renova, será que o novo é fantástico?
Não precisamos ter medo do que virá pela frente
Não pode ser pior do que o passado
Ninguém precisa do passado

O que vai vir nos causa arrepio
Seja bom ou ruim, será novidade
Aquela velha surpresa que não gostamos
Mas percebemos que o novo, será igual ao que já aconteceu
Pode acreditar que no futuro
Você vai amar novamente
Vai ter a oportunidade de reconstruir os danos do passado
Seja delicado, sutil e implacável
Mas não se esqueça de ser feliz no futuro
Não se esqueça de se entregar

O melhor de tudo é o presente
É onde pisamos e onde estamos
É o momento em que temos voz
O presente é quando podemos agir
O presente é onde somos humanos

Já parou pra pensar que você talvez possa não ser dono do seu futuro?
Então viva e não espere nada surpreendente.

O Tempo

Quando o tempo passar, e tudo voltar ao seu lugar
Estarei estático e abstrato
Serei sempre o mesmo
Como sempre quis ser
Porém passarei por lugares diferentes
Cantarei outras músicas
Viverei em outros lugares
E posso até pensar em amar outras mulheres

Quando o tempo passar
Estarei mascarado, escondido e abismado
Vou ficar na minha, sem palavras e calado
Pode ser que eu encontre solução
Pode ser que eu me encontre
Na verdade tudo pode acontecer

Enquanto agente espera
O mal se revela em fúria e ingratidão
E vai tornando o mundo num lugar terrível de viver
Hoje as coisas mudaram
Hoje os prédios caem em minha cabeça
As ruas estão sujas e vazias
Ninguem sai de casa
E eu vejo tudo da minha janela
Todos com medo e insegurança
Escravos do tempo e de sua preguiça
Submetidos a viver à espera de um reinício

Nas ruas só escuta-se o choro e o sussurro de quem ainda espera
Porque no meio de tanta inesperança
Tem gente que acredita que o tempo ainda possa passar