Eu e meus enganos

Na maioria das vezes estou errado
Quase sempre me engano
Não sei o que falar e nem tento dizer
Não sei a melhor forma e nem decisão adequada
Eu vivo assim, errando e absorvendo erros
Levando a culpa e sendo julgado

Não sou a vítima, mas sou condenado
Sou arrastado e humilhado
Nunca sinto dor, vergonha e nem o medo
Passo por tudo isso, sem saber o porquê
Vivo colhendo os meus pedaços
Chorando as mesmas lágrimas
Contando as mesmas histórias
Falando dos mesmos amores
E do fim de todos eles

Vivo recuperando o passado, por ter medo do futuro
Ah! Agora eu sinto medo?
Medo de amar e de me entregar?
Só não quero ser julgado novamente
Não quero cortar meus pés e rasgar minhas roupas
Não quero andar morto pelas ruas
E não quero sujar meu rosto com lágrimas

A proxima vez não será igual
Não será justo
Quero ficar assim, sozinho e perseguido
Quero voar em asas livres
Quero ver o tempo passar cantando uma canção
Sozinho e de cabeça baixa
Ausente nesse mundo e nesse sistema
Fora do ar, fora de si e longe de ti